A região do Dão em Portugal

06 Maio, 2019

A região do Dão em Portugal

A região do Dão em Portugal sempre foi conhecida por seus vinhos e também marcada por uma das primeiras do país a produzir vinhos de mesa. A região sempre forneceu vinhos para todo o país e também para outros.

Porém, houve um período em que as coisas não foram assim. Durante um tempo, Dão foi passado para trás por Douro e Alentejo. Isso aconteceu devido a intervenções governamentais na década de 1940. O intuito era melhorar a qualidade dos vinhos produzidos, e então foram criadas regulamentações com um programa de participação de cooperativas no setor, concedendo a estas exclusividade na compra das uvas produzidas no local. Empresas privadas só podiam comprar vinhos já prontos, e o aumento da produção fez com que a qualidade do vinho produzido no Dão caísse e deixasse de ser referência.

Após a entrada de Portugal na Comunidade Econômica Europeia, esta regulamentação foi revogada, o que fez surgir novos empreendimentos viníferos, e fazer com que a região de Dão renascesse para o mercado voltando a ocupar o seu lugar de origem.

Atualmente, o Dão voltou a ser uma região conhecida pela sua rota de vinhos e atrai visitantes e turistas de todo o mundo. Localizada no centro de Portugal, a região possui 376 mil hectares, sendo cerca de 20 mil destinados exclusivamente às vinhas.

A região é demarcada por um relevo acidentado, com a maior parte do solo granítico e possui um clima favorável para a produção de uvas. Cercada por altas montanhas e protegida da influência do oceano atlântico, possui clima temperado, com verões quentes e secos e invernos frios e chuvosos.

A casta mais conhecida e nobre da região é a Touriga Nacional, que produz vinhos com encorpados, com taninos nobres e propícios ao envelhecimento, ficando melhores depois de maturados. Essa casta é produzida em todo país, porém devido as circunstâncias particulares da região, somente em Dão que ela atinge a sua plenitude.

Outra casta nobre conhecida da região é a Alfrocheiro Preto. Os vinhos produzidos com ela costumam ser finos e ganham corpo ao longo dos anos de maturação.

Já entre as castas brancas, a Encruzado é a mais nobre, sendo conhecida por seus aromas complexos e secos.

Em geral, os vinhos produzidos no Dão são gastronômicos. Com acidez única e aromas delicados, eles são equilibrados e harmônicos, casando bem com a gastronomia local. Os tintos costumam ser vermelho rubi, com aromas frutados delicados e maduros, taninos finos e boa acidez. Já os brancos normalmente têm acidez refrescante e médio corpo.

A região de Dão possui lindas paisagens e é um destino incrível para os amantes de vinhos, visto que a maior parte do seu turismo é concentrado neles.

Se você ainda não conhece os vinhos da região, não perca tempo! Neste mês, o SmartBuy Wine Club oferece um excelente vinho do Dão para que os associados conheçam mais!

 

 

 




Deixe um comentário

Os comentários serão aprovados antes de serem exibidos.