COMO FICA A INDÚSTRIA DO VINHO EM MEIO A PANDEMIA?

21 abril, 2020

COMO FICA A INDÚSTRIA DO VINHO EM MEIO A PANDEMIA?

A Indústria do vinho teve um começo bem difícil nesta década. Em outubro, uma tarifa de 25% foi imposta aos vinhos franceses, alemães e espanhóis importados para os Estados Unidos como uma medida de retaliação contra os subsídios das aeronaves da Airbus.

Você provavelmente está vendo muitas notícias ruins em vários outros lugares, a respeito das baixas que a Pandemia de coronavírus está causando ao redor do mundo. Por isso, hoje trouxemos por aqui algumas informações que irão ajudar a dar uma equilibrada nas suas percepções.

 

Produção Vinícola no Hemisfério Norte:

A produção de vinho no Hemisfério Norte, incluindo toda a Europa e os EUA, está em um período lento, com as vinhas acabando de acordar do sono do inverno. É possível que a safra de 2020 não seja muito afetada.

Apesar de alguma confusão inicial, a proibição de viagens de Trump se aplica apenas a pessoas, não a mercadorias, para que os vinhos possam continuar sendo importados mesmo de países atingidos como a Itália.

O coronavírus (Covid-19) não pode sobreviver em objetos inanimados durante o tempo que levam as remessas de vinho para atravessarem o Oceano Atlântico, o que as tornam perfeitamente seguras para chegarem até nós.

Problemas em Dobro:

Algumas regiões vinícolas da Europa já estavam lutando com as tarifas de 25% impostas pelos EUA no ano passado aos vinhos franceses, alemães e espanhóis com menos de 14% de álcool. O coronavírus piorou ainda mais seus negócios, o que consequentemente eliminou virtualmente o mercado chinês.

A China possui o 4º maior mercado consumidor de vinhos do mundo, e isso, de certa forma, atrapalha ainda mais os negócios de compra e venda, já que o envio de vinhos para este país está praticamente suspenso. Agora, vinícolas do mundo inteiro, se unem para pensar em um plano B, sem saber por quanto tempo esse problema irá durar, com o objetivo de encontrar uma solução que ajude não apenas os produtores, mas os apreciadores do vinho.

Uma luz no fim do túnel:

Vários especialistas financeiros – e tão apaixonados por vinhos quanto nós – alegam que as tarifas americanas podem sim ser um problema, mas que a percepção das pessoas a respeito de bebidas como o vinho, é que existe uma projeção futura com relação a elas, afinal, estas precisam de um tempo de maturação para ficarem prontas para o consumo. Em algumas regiões da Itália, as vinícolas estão adotando uma postura pragmática de isolamento social, como forma de conter o fluxo da pandemia, com isso, o vinho continua intacto, à salvo, esperando para chegar ao mundo no momento certo, assim que pudermos comemorar a superação deste problema, segurando uma deliciosa taça nas mãos. 

Enquanto isso:

Se você está em casa e pode ficar seguro e confortável durante esta quarentena, aproveite para escolher alguns vinhos deliciosos em nosso site. Lembrando que bebidas alcóolicas devem ser consumidas com moderação, mesmo durante o isolamento social, e a desinfecção de toda e qualquer embalagem de produtos é necessária, antes do seu armazenamento. Aproveite!




Deixe um comentário

Os comentários serão aprovados antes de serem exibidos.


Ver artigo completo

CONHEÇA ALGUMAS DAS VINÍCOLAS SUL-AFRICANAS QUE CHAMAM ATENÇÃO
CONHEÇA ALGUMAS DAS VINÍCOLAS SUL-AFRICANAS QUE CHAMAM ATENÇÃO

14 junho, 2021

Rota do vinho, piscina aquecida, Spa e galerias de vinho: conheça as vinícolas mais espetaculares da África do Sul.

Ver artigo completo

RAZÕES PARA FAZER UMA VIAGEM À ROTA DO VINHO BREEDEKLOOF NA ÁFRICA DO SUL
RAZÕES PARA FAZER UMA VIAGEM À ROTA DO VINHO BREEDEKLOOF NA ÁFRICA DO SUL

10 junho, 2021

A Rota do Vinho Breedekloof é composta por 22 vinícolas, que vão desde pequenas boutiques a adegas e quintas.

Ver artigo completo

AS MELHORES REGIÕES VINÍCOLAS DA ÁFRICA DO SUL
AS MELHORES REGIÕES VINÍCOLAS DA ÁFRICA DO SUL

07 junho, 2021

Uma das novas e mais promissoras regiões do novo mundo, na produção de vinhos com excelente custo-benefício: vamos explorar um pouco mais sobre a África do Sul.

Ver artigo completo