CONHEÇA AS 3 REGIÕES VINÍCOLAS MAIS IMPORTANTES DA ARGENTINA

18 novembro, 2020

CONHEÇA AS 3 REGIÕES VINÍCOLAS MAIS IMPORTANTES DA ARGENTINA

Créditos: Unsplash

Não é só pelo churrasco e pelo tango que nossos Hermanos são famosos mundo à fora. Conheça as 3 regiões vinícolas mais importantes da Argentina.

Além de ser uma vizinha muito charmosa do Brasil, a Argentina é conhecida por seus vinhos, principalmente o Malbec. Assim como o tango, o churrasco e as conversas emocionantes, o vinho está no cerne da identidade cultural argentina. Dividir uma garrafa durante uma refeição faz parte da vida cotidiana. O que tornou o vinho do país famoso em todo o mundo foi o seu terroir. A Argentina ainda tem trechos de terras virgens e microclimas com variedades de temperaturas excepcionalmente extremas, que produzem uvas de sabor e qualidade distintos. O país é especialmente adequado para a cultura e a produção vinícola, tanto que é o quinto maior produtor mundial de vinhos. E para saber um pouco mais sobre os encantos vinícolas da Argentina, neste artigo iremos conhecer 3 das regiões mais importantes para a produção de vinho no país. Confira a seguir.

SALTA: Salta é a região vinícola mais promissora do país. Também é, não por acaso, o lar de alguns dos terrenos e climas mais extremos da Argentina: alturas elevadas de montanhas, noites geladas e dias intensos e ensolarados. Se você está pensando que parecem condições muito interessantes para o vinho, bem, você está certo. Quem diria que o vinho poderia crescer em tal altitude? A principal área produtora de vinho é Cafayate, mas esse não é o único lugar onde você verá vinhedos em Salta. Os principais são San Pedro de Yacochuya, Colomé e Etchart, enquanto algumas vinícolas menos conhecidas, mas igualmente excelentes, são Jose Mounier'sFinca Las Nubes, El Porvenir, Domingo Molina e a vinícola orgânica Nanni. E caso queira conhecer uma vinícola realmente remota - uma das mais altas do mundo – não deixe de visitar a adega Tacuil.

CATAMARCA: Catamarca é uma região ideal para amantes do vinho que gostam de uma área livre para longas caminhadas. Ou seja, é um desafio - no bom sentido! A belíssima região montanhosa está fora dos caminhos mais conhecidos. Embora Catamarca não esteja explodindo de vinícolas, há uma espécie de rota do vinho lá para descobrir. Experimente Rodriguez Ferrero e Cuello Roca, para começar.

MENDOZA: Com vinhedos que se estendem até onde a vista alcança na base dos Andes, Mendoza é sem dúvida a região vinícola mais conhecida da Argentina. Seus distritos de Valle de Uco e Lujan de Cuyo são o lar de vinícolas conceituadas como Clos de los Siete e Carmelo Patti. Muitas vinícolas em Mendoza estão formando parcerias com artistas e galerias locais, então você também pode participar de algumas atividades de degustação de vinhos artisticamente enriquecedoras. Os mais de 300.000 hectares de vinhedos da região incluem nomes importantes, bem como numerosas operações familiares menores. Você pode passear meses em Mendoza e ainda não visitar todas, então aqui está um resumo das principais adegas (e algumas joias menos conhecidas): Atamisque, Dolium , Cheval des Andes, Zuccardi, Domaine St. Diego, Piattelli , Bodega Vistalba, Decero, Deumayen, El Equilibrista, Riccitelli, a orgânica familiar Finca Suarez e a vinícola de inspiração francesa Jean Bousquet. Se você quiser sair um pouco do mapa da rota do vinho, vá ao distrito de San Rafael, em Mendoza, e vá até Bournett e Alfredo Roca.

E para conhecer melhor os vinhos destas regiões tão charmosas e importantes da Argentina, basta acessar nossa sessão especial e conferir a seleção argentina que montamos exclusivamente para você. Caso tenha gostado deste artigo, não se esqueça de compartilha-lo em suas redes sociais.

 




Deixe um comentário

Os comentários serão aprovados antes de serem exibidos.