E os vinhos do Vale do São Francisco?

09 Setembro, 2019

E os vinhos do Vale do São Francisco?

Os vinhos do Vale do São Francisco

Como já sabemos, a apreciação de vinhos no Brasil, não é uma tradição, porém este costume vem crescendo ano a ano, em nossos país. Por aqui, o enoturismo tem apresentado números significativos em sua exploração, que se torna cada vez mais comum nas regiões sul e sudeste, mas existe um ponto que ainda é pouco explorado e merece atenção: as vinícolas do nordeste brasileiro.

Em meio à caatinga, com características peculiares e solo único, onde muitos ainda acham impossível nascer algum tipo de vegetação, estão algumas das maiores e melhores vinícolas produtoras de vinho do Brasil, cuja qualidade têm reconhecimento mundial.

Algumas das melhores e mais avançadas vitivinícolas do Brasil estão justamente em uma região onde era inimaginável pensar que seria possível produzir algo no gênero. Mas é do Vale do São Francisco, no Estado de Pernambuco, que saem alguns dos melhores vinhos, espumantes e sucos de uva do país. Hoje, a área produz quase três safras por ano, sendo a segunda na produção de vinhos finos no Brasil, elaborados a partir de uvas europeias.

A safra anual brasileira deste tipo de vinho está em torno de 40 milhões de litros, sendo que 7 milhões são provenientes da região (15% da produção nacional - única região do mundo que produz vinho o ano todo).

O roteiro é encantador, começando pelo Centro Tecnológico da Uva e do Vinho onde se desenvolvem as pesquisas para o aprimoramento da qualidade das videiras, percorrendo, posteriormente, uma trilha de 300 metros que mostra a diversidade da flora e fauna da Caatinga. Em seguida, uma é possível fazer uma visita às vinícolas, para se conhecer todo o processo produtivo – plantação e elaboração do vinho – sendo possível degustar e adquirir o produto direto da fonte. E, por último, ainda é possível fazer um belo passeio de Catamarã pelo rio São Francisco, acompanhado de um delicioso espumante.

Existem operadoras de turismo locais que oferecem pacotes e passeios diários de barco para visitar as vinícolas, com direito a almoços harmonizados e acompanhados com vinho e banho nas águas do rio São Francisco. Se quiser, você ainda pode ir de carro até as fazendas, que ficam cerca de 1 hora das cidades de Petrolina (PE) e Juazeiro (BA).

As fazendas ali localizadas são: Vinícola Botticelli, em Santa Maria da Boa Vista (PE); as Vinícolas Bianchetti, Mandacaru e Terroir do São Francisco, e a vitivinícola Rio Sol (Santa Maria), em Lagoa Grande (PE); a Vitivinícola Quintas São Braz, em Petrolina (PE); e a vinícola Terra Nova, em Casa Nova (BA).

Entre degustações, aulas didáticas e muito vinho, é possível se encantar com as paisagens deste lugar, que é banhada por um dos afluentes mais lindos do Brasil. O passeio pelas vinícolas do Sertão é um prato cheio para aqueles que buscam conhecimento, novidade e qualidade. Vale a  pena a visita a região. Você pode ficar surpreso com os avanços por lá. 

 

 




Deixe um comentário

Os comentários serão aprovados antes de serem exibidos.


Ver artigo completo

Califórnia: Conhecendo a região vinícola de Lodi
Califórnia: Conhecendo a região vinícola de Lodi

08 Novembro, 2019

Ver artigo completo

Os brancos franceses: A tradição do Chablis
Os brancos franceses: A tradição do Chablis

31 Outubro, 2019

Os brancos franceses: A tradição do Chablis

O Chablis é o vinho branco mais conhecido ao redor do mundo. Seu nome ecoa pela memória e pelo paladar dos apaixonados pela bebida por diversos motivos. Este branco francês é um clássico, imponente e charmoso, seco e delicioso, a parceria perfeita para ostras frescas. Por outro lado, o nome Chablis também se tornou conhecido por ser um dos vinhos que mais inspira enólogos ao redor do mundo. Da Califórnia à Austrália; mesmo no Brasil dos anos 1970 a 1990 era muito comum sacarmos rolhas de brancos insípidos ostentando o nobre nome borgonhês no rótulo.

Ver artigo completo

Os vinhos de Borgonha
Os vinhos de Borgonha

18 Outubro, 2019

Não há como negar que os vinhos de Borgonha são inesquecíveis. Para alguns apreciadores, podem ser considerados até como melhores do mundo. Há centenas de nomes, de denominações e produtores, e descobrir o que há por trás de cada rótulo feito na região, nem sempre é tão óbvio quanto parece, principalmente para alguém que não está acostumado com vinhos borgonheses.

Ver artigo completo