O EFEITO DAS MUDANÇAS CLIMÁTICAS NO MUNDO DO VINHO

20 julho, 2019

O EFEITO DAS MUDANÇAS CLIMÁTICAS NO MUNDO DO VINHO

O EFEITO DAS MUDANÇAS CLIMÁTICAS NO MUNDO DO VINHO

Você já parou para refletir qual será o impacto das mudanças climáticas para a indústria do vinho? Alguns cientistas acreditam que o aumento da temperatura faz parte de um ciclo e que em breve elas voltarão a baixar. Desses, alguns acreditam até que isso pode acontecer de maneira tão brusca a ponto de vivermos uma mini era do gelo, semelhante à de 1660 a 1830.

Em contrapartida, muitos outros cientistas acreditam que a ameaça do aquecimento global é real e bate a nossa porta. O aquecimento global é uma teoria que diz que por conta da grande poluição industrial o planeta tem se aquecido rapidamente e além do normal. Alguns estimam um aumento de temperatura média entre 0,3°C e 1,7°C até 2030 e de 0,8°C a 5,2°C até 2070.

A realidade é que ambas as teorias são assustadoras. E diante desse cenário, paramos para nos perguntar: e a indústria do vinho, como ficará?

O que podemos afirmar é: existirão mudanças positivas e negativas e falaremos disso nesse post!

Mudanças na fisiologia da videira

Apesar da vinha ser uma planta extremamente resistente, capaz de suportar temperaturas de -20°C até 40°C, é inevitável haver uma mudança na sua fisiologia especialmente com o aumento da temperatura. A vinha conseguirá sobreviver fechando seus estômatos (estruturas celulares que realizam as trocas gasosas entre as plantas e o meio ambiente). Isso resultará em um processo respiratório mais eficiente, diminuindo a quantidade de água necessária para a vinha. Acredita-se que quanto maior o aquecimento, maior a mudança na fisiologia. Agora na prática, no que isso resultará? Em vinhos com maior teor alcoólico, com fenóis mais maduros, ou sabor herbáceos maiores se colhidos precocemente para evitar o aumento do teor alcoólico.

Novas regiões poderão surgir para o mundo do vinho

As regiões mais frias seriam beneficiadas com o aumento da temperatura e alguns locais que não são aptos para plantio hoje por conta do frio, futuramente seriam, criando novas áreas para a viticultura.

Mudança do ciclo anual da videira

Outra mudança iminente seria o ciclo anual da videira, pois o aumento da temperatura faria com que os brotos surjissem mais cedo, fazendo com que a floração e maturação fossem precoces. Isso beneficiaria regiões como Bordeaux e Loire, pois possibilitaria que a colheita acontecesse antes das chuvas de outono.

Secas e erosão

O clima em geral ficaria mais tropical, com períodos maiores de seca e aumento exponencial de chuvas. As secas poderiam acarretar numa grande falta de água e isso seria um problema para diversas regiões. As chuvas poderiam trazer ameaça de erosão do solo e isso seria uma ameaça para vinhas localizadas em encostas.

Uvas com menor acidez

O aumento da temperatura especialmente durante a noite, deixaria as uvas com menores níveis de acidez. Caso o produtor quisesse evitar isto, teria que escolher a dedo quais castas plantar, como a Tempranillo que retém maior acidez mesmo em climas mais quentes. Outra opção também seria acidificar o mosto.

Vinhos mais alcoólicos

Como vimos anteriormente, com as mudanças na fisiologia da uva os vinhos teriam um aumento do teor alcoólico. Uma opção para encontrar o equilíbrio seria utilizar leveduras que são menos eficazes na conversão do álcool. O produtor poderia também optar por algumas técnicas como a osmose reversa ou colunas de destilação em cone rotativo.

Alguns estilos de vinhos serão mais difíceis de serem produzidos

O Kabinnet ou Eiswein se tornariam mais raros. O aquecimento global aumentaria o nível dos oceanos, impactando regiões próximas ao mar, como o leste da Australia e Pays Nantais na França. Já lugares como Colares em Portugal poderiam sofrer uma extinção total das vinhas plantadas em regiões baixas. 

Mudanças nos vinhos já existentes

Alguns vinhos correriam o risco de serem extintos e outros que sobrevivessem poderiam sofrer grandes alterações. O aumento da temperatura resultaria em vinhos mais ricos, completos e alcoólicos. O Chablis poderia se parecer mais com um Chardonnay de Maconnais. O Muscadet poderia se tornar mais rico, frutado e menos ácido. Atualmente os vinhos de safras mais quentes são mais caros, no futuro, os vinhos de safras frias se tornariam mais valorizados.

Alteração no mercado consumidor

Com o clima mais quente, o publico consumidor tenderia a optar por vinhos brancos e rosados, aumentando significativamente essa demanda.

O que precisamos ter em mente é que assim como as mudanças climáticas afetariam e modificariam muitas coisas no mundo, a indústria do vinho seria uma delas. Nos resta fazer a nossa parte, colaborar com a terra como pudermos, aproveitarmos hoje aquilo que temos a nossa disposição e manter a esperança de que estas previsões não se realizem por completo.

Por enquanto, e acreditando que as mudanças virão aos poucos e teremos tempo para nos adaptar e preservar o que gostamos, vamos desfrutar de bons vinhos pois a vida corre! 




Deixe um comentário

Os comentários serão aprovados antes de serem exibidos.


Ver artigo completo

Queimadas na Australia
Queimadas na Australia

14 fevereiro, 2020

Os vinicultores da região vinícola de Adelaide Hills, no sul da Austrália, estão avaliando suas vinhas e propriedades depois que um incêndio florestal atingiu a região no final deste ano passado.

Ver artigo completo

SONOMA COUNTRY: VINÍCOLAS EM CHAMAS EM 2019
SONOMA COUNTRY: VINÍCOLAS EM CHAMAS EM 2019

10 fevereiro, 2020

No final do ano passado, devido a um curto circuito provocado na rede elétrica, as principais vinícolas da Califórnia, incluindo uma propriedade de Francis Ford Coppola, foram fechadas em meio ao esforço dos bombeiros para controlar os incêndios na maior região produtora de vinho da Califórnia.

Ver artigo completo

LODY: CONHEÇA MAIS SOBRE A REGIÃO E UM PINOT DELICIOSO DO VALE
LODY: CONHEÇA MAIS SOBRE A REGIÃO E UM PINOT DELICIOSO DO VALE

30 janeiro, 2020

Ver artigo completo