Queimadas na Australia

14 fevereiro, 2020

Queimadas na Australia

 Os vinicultores da região vinícola de Adelaide Hills, no sul da Austrália, estão avaliando suas vinhas e propriedades depois que um incêndio florestal atingiu a região no final deste ano passado. Mais de 60 vinhedos e vinícolas foram impactados, com alguns viticultores perdendo todas as suas uvas apenas alguns meses antes do início da colheita.  O incêndio de Cudlee Creek ocorreu em 20 de dezembro nas montanhas a leste de Adelaide, a capital do Sul da Austrália. Alimentado por condições quentes, secas e ventosas, o incêndio dizimou 57.000 acres e destruiu mais de 80 casas.

 Adelaide Hills é uma das regiões vinícolas de clima frio mais conhecidas da Austrália. A região está localizada nas cordilheiras do monte elevado e faz fronteira com o vale de Barossa ao norte e o vale da McLaren ao sul abrigando 90 rótulos de vinhos diferentes, com cerca de 8.150 acres de vinhedos. 

 

Alguns produtores de vinho estão relatando danos significativos às suas uvas e as videiras. Os incêndios florestais geralmente queimam as ervas por baixo das videiras e dos postes de treliça, mas essas chamas têm sido suficientemente quentes e lentas para queimar algumas das vinhas. As uvas foram ainda mais impactadas. Os incêndios chegaram quando as uvas ainda estavam amadurecendo. A colheita geralmente ocorre entre fevereiro e março no Hemisfério Sul, mas os produtores de vinho podem começar a colher suas uvas já em janeiro nas regiões mais quentes da Austrália. Neste ano, no entanto, as uvas foram praticamente torradas ainda em sua época de maturação, direto no pé. 

A perda da safra deste ano pode significar falência para alguns produtores de vinho, já que os produtores e vinícolas estão em um ponto particularmente difícil em termos financeiros depois de uma safra de 2019 que foi 50% abaixo da média. Os danos causados ​​pelos incêndios nas vinhas e a falta de frutas que resultam disso, farão com que algumas vinícolas sejam obrigadas a fechar as portas. Uma lástima!

Pode levar anos para a indústria do vinho australiano se recuperar nas regiões atingidas pelos incêndios, porque grande parte destas regiões precisarão passar pelo replantio, e se houver uma recuperação integral, suas videiras possivelmente não darão frutos até 2022. Aquelas que foram chamuscadas, serão refeitas na primavera e serão produtivas novamente até a safra de 2021, mas se tratando de novas plantas para uma nova colheita, o período varia entre 3 a 4 anos de espera.

 




Deixe um comentário

Os comentários serão aprovados antes de serem exibidos.


Ver artigo completo

OS VINHOS DE MÉDOC
OS VINHOS DE MÉDOC

26 março, 2020

Ver artigo completo

PAUILLAC: UM PASSEIO PELOS CABERNETS  FRANCESES
PAUILLAC: UM PASSEIO PELOS CABERNETS FRANCESES

05 março, 2020

Ver artigo completo

SONOMA COUNTRY: VINÍCOLAS EM CHAMAS EM 2019
SONOMA COUNTRY: VINÍCOLAS EM CHAMAS EM 2019

10 fevereiro, 2020

No final do ano passado, devido a um curto circuito provocado na rede elétrica, as principais vinícolas da Califórnia, incluindo uma propriedade de Francis Ford Coppola, foram fechadas em meio ao esforço dos bombeiros para controlar os incêndios na maior região produtora de vinho da Califórnia.

Ver artigo completo