Masi Agricola - Riserva di Costasera Amarone DOC, Veneto, Italia 2011

*** 94 pontos Robert Parker

O vinho

O Riserva di Costasera Amarone é originado a partir dos mesmos vinhedos que o Costasera Amarone, localizados em Valpolicella Clássico, em encostas com vista para o Lago Garda – que reflete a luz solar, beneficiando a maturação das uvas. Foi considerado, nas últimas safras, sempre um vinho excepcional por Robert Parker, com mais de 90 pontos. Tem um nariz opulento, com ameixas, cerejas, frutas cozidas, toques tostados, de café, chocolate e especiarias doces. É um vinho encorpado com textura de taninos aveludados, grande potência e profundidade. Trata-se de um corte tradicional de Corvina (a única variedade que desenvolve botrytis, podridão nobre, durante o appassimento), Rondinella, Molinara e a ancestral Oseleta, que agrega estrutura e cor ao vinho final.

A fermentação alcoólica é realizada em grandes cascos de carvalho da Eslovênia e em tanques de inox. Já para a maturação do vinho são utilizadas barricas de 600 litros, novas e usadas, de carvalho da Eslovênia e francês, durante 38 a 40 meses.

A vinícola

O Amarone como conhecemos atualmente deve-se muito à Masi Agricola, vinícola responsável por este Amarone. Esta vinícola, com raízes no final do século XVIII, é uma das grandes referências do vinho vêneto, não apenas pela altíssima qualidade de seus exemplares, mas também por liderar a inovação na região, sem descuidar do legado de seus ancestrais. O Gambero Rosso, provavelmente a mais respeitada publicação de vinhos italianos, chama Masi de “grife”. É, de fato, um clássico que não sai de moda.

A Masi Agricola surgiu em 1772, quando a família Boscaini – que até hoje comanda os destinos da empresa – adquiriu um pequeno vale em Verona, na zona de Valpolicella Classico, chamado “Vaio dei Masi”, a inspiração para o nome da vinícola. Ao longo dos séculos, outros vinhedos selecionados aos pés das montanhas e em encostas até 400 metros de altitude, em diferentes áreas do Vêneto – ao redor de Verona e em Valpolicella Classico, Bardolino Classico e Soave Classico –, e também além fronteiras, em Friuli e Trentino, juntaram-se ao patrimônio da empresa. Uma condição sine qua non que norteou as escolhas da Masi foi a preservação de variedades de uvas nativas: Corvina, Rondinella, Molinara, Garganega, Trebbiano di Soave e Oseleta são algumas delas.

A reputação dos Amarones

A sexta e a sétima gerações da família estão à frente dos negócios, sendo Sandro Boscaini o presidente da empresa desde 1978. Ele é considerado uma das mais ilustres personalidades do vinho italiano na atualidade e foi responsável por imprimir um novo estilo de gestão que valoriza o trabalho em equipe.

Em meados de 1980, Sandro Boscaini criou o Grupo Técnico Masi (GTM), que consiste em um time de experts em várias áreas – enologia, viticultura, análises químicas, marketing… –, para desenvolver programas de controle de qualidade e de pesquisa. O GTM tem à disposição um vinhedo experimental plantado com 48 diferentes variedades nativas do Vêneto, com as quais são realizadas microvinificações em uma adega moderna, exclusivamente dedicada às pesquisas. De tão relevante, esse projeto conta com a colaboração do Departamento de Viticultura e Enologia da Universidade de Milão.

Outra linha de pesquisa de grande importância do GTM é o chamado NASA  (Natural Appassimento Super Assisted), um sistema inovador desenvolvido pela Masi nos anos 1990 para assegurar um perfeito processo de desidratação das uvas (appassimento) que darão origem ao Amarone e ao doce Recioto. Por meio de revisões dos parâmetros registrados em três das melhores safras da região – 1988, 19. As pesquisas do GTM são tão inovadoras para o setor do vinho que todos os anos seus experts realizam um seminário técnico durante a Vinitaly, o mais concorrido evento de vinhos italianos.

Com esse espírito visionário e com base em muitas pesquisas, Masi é atualmente líder na produção de Amarone – possui uma linha extensa de opções dentro dessa categoria e exporta para mais de 90 países.

Dados Técnicos:

Uvas: 70% Corvina, 15% Rondinella, 10% Oseleta e 5% Molinara.

Região: Vêneto, Itália.

Amadurecimento: 38 a 40 meses barril de carvalho Eslovênio e Francês.

Taxa de Álcool: 15,5%.


Itens relacionados